EDITION 2020 EM 3 ATOS


Quando convidou Patricia Anastassiadis para assumir a direção de criação dos produtos, seis anos atrás, Paulo Bacchi, herdeiro e CEO da Artefacto, sabia bem o que queria. Àquela altura, a marca já contava mais de quatro décadas como sinônimo de excelência no mercado nacional, com um público fiel tanto final, quanto de especificadores, incluindo as grandes estrelas da arquitetura desta e de outras terras. De Miami, o filho do Albino Bacchi já tratara também de posicionar o brand como líder de mobília outdoor no sul dos Estados Unidos. “Os tempos mudam cada vez mais rápido e a Artefacto, com o compromisso de se manter atualizada para superar as expectativas dos nossos clientes e amigos, continua apostando na evolução da tradição. Para isso, interpretar a casa contemporânea e os novos hábitos de consumo, assim como fazer um uso mais racional dos recursos ambientais em cada etapa do processo de construção de uma peça, é tão fundamental quanto a valorização do fatto a mano, principal característica do DNA Artefacto, que aposta alto na integridade do desenho e no respeito aos designers com produtos totalmente patenteados” conta Bacchi. “Nosso grande diferencial é o modelo de gestão em 3 camadas: Análise/ Gerencial/Operacional, o que torna a empresa ágil e revolucionária o tempo todo”, finaliza o Gestor Pedro Torres.

Simplicidade, elegância, leveza e conforto. Esse mood resgata a potência do design por meio dos traços limpos e das linhas retas, puras, acionando fundamentos sobre essencialidade/ elementaridade que embasam o minimalismo japonês, cujas estruturas se sustentam sobre a dinâmica poética entre vazios e preenchidos – o espaço ocupado e o espaço livre de ocupação. Nestas páginas, o biombo Hive sintetiza a proposta. Outro móvel, o módulo Geta, emblematiza esse mood com arquétipo inspirado em tamanco oriental e atualizado por meio de trilhos que permitem deslizar os assentos e mesa de apoio sobre toda a área horizontal da base. Os acabamentos conferem uma peça extremamente elegante inclusive de costas. Modularidade, movimento, Yin-Yang, complementaridade.
Colhido direto na fonte do Abstracionismo alemão do século 20, é uma homenagem ao artista Jean Arp, reconhecido pela organicidade das formas e padronagens livres, soltas, pluriformes. A ergonomia e a funcionalidade são atingidas por meio de um complexo estudo de relevos escultóricos, geometrias desconstruídas, luzes e sombras. A volumetria hiperbolizada do corpo humano tão característica das esculturas e pinturas de Jean Arp se desdobra em peças acolhedoras, humanizadas. A chaise Arp é o carro-chefe desse recorte da coleção: ângulos imponderáveis transportam o imaginário coletivo para o mundo natural limpo das artifi cialidades da civilização industrializada.
A busca por uma reconexão entre o ser humano e suas origens ancestrais lidera esse mood que, traduzido, significa “alimento para a mente”. A nutrição do corpo, seminal para a preservação/evolução de toda espécie, transborda para o cérebro – a gente não quer só comida: a gente quer comida, diversão e arte. Um mood que ativa o campo sensorial humano com uma intensidade avassaladora ao provocar o pensamento a desbravar limiares antes inimagináveis, porém intuitivos e indissociáveis de quem somos. Forma, função, emoção. A mesa de apoio Toff ee desperta o desejo imediato da visão, que aciona o paladar provocando todos os outros sentidos na mesma direção.

Patrícia Anastassiadis




Sofás

Chaise Long e Puff

Mesas e Aparadores

Cama, Mesas de Cabeceira e Biombo